Início / Colunas / ¿Isto Non Ecziste? / Papai Noel Ecziste?

Papai Noel Ecziste?

“Papai Noel existe?” O Natal já passou, mas essa é a pergunta que fica sempre. Mas, afinal de contas, como surgiu essa figura rechonchuda que assusta tantas criancinhas no natal, e que chamamos de Papai Noel?

Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho surgiu no século IV, inspirada num bispo chamado Nicolau Taumaturgo. Ele vivia em lugar chamado Myra, hoje Turquia (Salve Jorge?), há aproximadamente 300 anos AC. Após a morte de seus pais, Nicolau tornou-se padre, e mais tarde bispo, quando passou a vestir roupas e chapéu vermelhos e barba branca. Foi transformado em santo (um tal de São Nicolau) após várias pessoas relatarem “milagres” atribuídos a ele.

São Nicolau

Dizem que esse velhinho de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando moedas nas chaminés deles (gostei mais desse Noel aí). Na época de Natal, Nicolau arrecadava doações, comidas e brinquedos para distribuir entre os mais necessitados. Essa história tornou-se conhecida e acabou sendo misturada com uma lenda da Escandinávia, na qual um mago bondoso que vivia na floresta, na época de Natal presenteava as crianças comportadas. Tal personagem passou a ser representado por um bondoso velhinho, com grandes barbas brancas e olhar carinhoso que distribuía presentes nas noites de Natal. Com o passar do tempo essa lenda ganhou o mundo e passou a fazer parte principalmente do imaginário infantil.

A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura.  Em 1823, no livro “Uma visita de São Nicolau”, de Clement C. Moore descrevia São Nicolau como “um elfo gordo e alegre”. Já em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho, a roupa nas cores vermelha e branca, com cinto preto (inspirada naquele santo velhinho já citado), criada por Nast foi apresentada na revista Harper’s Weeklys neste mesmo ano.

É muito divulgado pela internet e por outros meios que a “demoníaca” Coca-Cola seria a responsável por criar o atual visual do Papai Noel, mas é historicamente comprovado que o responsável por sua roupagem vermelha foi mesmo o Nast. O que ocorre é que em 1931 a Coca-Cola realizou uma grande campanha publicitária vestindo Papai Noel ao mesmo modo de Nast, convenientemente com as cores vermelha e branca, já que estas são as cores de seu rótulo. Tal campanha, destinada a promover o consumo de Coca-Cola no inverno (período em que as vendas da bebida eram baixas na época), fez um enorme sucesso e a nova imagem de Papai Noel espalhou-se rapidamente pelo mundo. Portanto, a Coca-Cola contribuiu para difundir e padronizar a imagem atual, mas não é responsável por tê-la criado.

Entre 1931 e 1964, Haddon Sundblom inventava uma nova imagem do Papai Noel a cada ano para propagandas da Coca-Cola, que eram veiculadas em todo o mundo na parte de traz da revista National Geografic. E é esta a imagem do Papai Noel que conhecemos hoje.

Mas e aquele papo de morar no Polo Norte???  

Bom, em 1866, o “viajante” Júlio Verne descreveu em seu livro Viagens e Aventuras do Capitão Hatteras, a história de uma expedição liderada por um inglês para o Polo Norte. Este livro é escrito com base na teoria errada sobre o que o Polo na época. Este fato aparentemente trivial, na verdade reflete uma antiga mitologia da Hiperbórea (povo mítico do extremo norte da Grécia, próximo aos Montes Urálicos), que diz que o eixo do mundo estranho e a morada dos seres sobrenaturais na terra estão no Polo Norte.  Assim sendo, segura aí na cadeira agora, a ideia popular de tornar o Polo Norte a casa do Papai Noel é uma transcendência espiritual arquetípica (compreendeu??), ou seja, alguém muito doidão leu o Verne e tirou a conclusão de que se o gordão existia só podia morar lá no Polo Norte (não é óbvio isso?), e o povão foi repassando isso de avô para netinho, e por aí foi até os dias de hoje.

Um fato curioso é que em 1925, após longas pesquisas em livros antigos, alguns estudiosos descobriram referências sobre um descendente de São Nicolau, descrevendo-o como “um papai que vive isolado, muito longe, rumo ao norte, no país do eterno inverno, tendo como únicos vizinhos os ursos brancos e as morsas”. Dois anos depois, um programa infantil de rádio noticiou, só de onda, a descoberta deste local mítico: a Vila de Papai Noel ficava em Korvatunturi, um monte a poucos quilômetros de Rovaniemi (capital da Lapônia finlandesa), onde abundavam as renas (saca Rodolfo, a do nariz vermelho?)

A história terminou ganhando repercussão mundial e estimulou a população da cidade a desenvolver nas décadas seguintes um verdadeiro complexo natalino ($$$$), tornando realidade para todo o mundo a existência da oficina de Papai Noel e criando a tradição dele na Finlândia.

Mais de meio milhão de admiradores visitam anualmente a “Aldeia de Santa Claus” de Rovaniemi, onde sempre é Natal. O Correio de Papai Noel também é um sucesso, e o velhinho costuma responder em oito línguas as cartas que lhe chegam (você leu certo, sim!). O endereço é:

Santa Claus Main Post Office ARTIC CIRCLE
Fin – 96930 Napapiiri Finland
Fax: (358) 16 356-2157
www.santaclaus.posti.fi

Então, esse é o endereço do bom velhinho, será que se eu mandar uma carta pra ele ganho um presente legal? Ou será que ¿Isto Non Ecziste?

 
Fonte:
A História do Papai Noel
Papai Noel existe e mora na Finlândia
Mundo Estranho

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.
  • José

    Que tal corrigir a data "300 AC"?

    • Olá amigo, não entendi a correção.