Início / Literatura / Contos/Crônicas (página 2)

Contos/Crônicas

Conheça nossos contos e crônicas.

fevereiro, 2013

  • 10 fevereiro

    Doce Novembro

    Chegou a ela, meio vacilante, mas decidido: ¿Oi, tudo bem? E ela, querendo mostrar-se simpática: Oi, ¿o que achou da nova professora? Ele, querendo logo mudar o assunto: Sei lá, mas parece bem segura sobre o que quer dizer… É, achei algo parecido… Tomando fôlego e coragem uma vez mais, …

  • 6 fevereiro

    O Favor de Badbh – Parte 01

    O Favor de Badbh        O ar na aldeia recendia à terra molhada, esterco e madeira queimada, mas o mal tempo não era exatamente um impeditivo para os ferreiros e demais artesãos, ainda mais na iminência de guerra. Não contra alguma tribo vizinha, como de costume, mas contra …

janeiro, 2013

  • 19 janeiro

    Momento King: Amor Verdadeiro – Isaac Asimov

    Hoje no Momento King, o conto escolhido é de um dos mestres da ficção científica, Isaac Asimov… verão que não é tão simples achar um Amor Verdadeiro. Amor Verdadeiro Meu nome é Joe. É assim que meu colega, Milton Davidson, me chama. Ele é um programador e eu sou um programa …

dezembro, 2012

  • 24 dezembro

    A Balada do Traidor – Parte 02

    Londres, 2055 Mordred abriu os olhos assustado. Levou um instante para relembrar onde estava. Praguejou ao perceber que havia caído no sono. Olhou o relógio do uPAN e percebeu que perdera quase trinta minutos. Maldito cansaço. Estava correndo a horas, desde que resgatara o bebê da Unidade Materna de Hampstead. …

  • 21 dezembro

    Penúltimo

    – Isso é cara para se comparecer ao fim do mundo? – pensou Marilu, enquanto se olhava no minúsculo espelho do quebra sol, acima do volante de seu carro financiado até o fim dos tempos. Ela já estava cansada de aguardar os finais – da faculdade, da semana, dos domingos …

  • 14 dezembro

    A Balada do Traidor – Parte 01

    Londres, 2055. A chuva caía inclemente sobre a cidade. Pesadas nuvens rodopiavam sobre a metrópole, despejando sua carga líquida, alheias aos dramas e necessidades que aconteciam nas ruas abaixo. A lua, totalmente encoberta pelo céu tempestuoso, nada podia fazer para diminuir a escuridão que assolava o homem que corria alucinadamente …