Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | A Caçadora – Sorriso de Vampiro, de Vivianne Fair

Resenha | A Caçadora – Sorriso de Vampiro, de Vivianne Fair

Quem nunca se apaixonou por um vampiro, que atire a primeira estaca.

Jéssica levava uma vida simples até descobrir que seus pacatos pais – um dentista e uma professora – eram na verdade caçadores de vampiros. Pressionada para seguir a tradição da família, parte em uma viagem para provar de uma vez por todas que vampiros não existem e que seus pais precisam de terapia.

Ao frequentar a universidade onde um suposto vampiro atua, faz amigos estranhos, uns tais otakus, e é perseguida por líderes de torcida e outros tipos populares. E antes que perceba, acaba se interessando por um rapaz que só pode ser vampiro – pálido, lindo, só sai à noite e tem cara de que usa muito delineador.

Com o tempo Jéssica perceberá que a verdade vai bem além dos livros e acabará pondo em risco muito mais que o pescoço: o seu próprio coração.

A Caçadora – Sorriso de vampiro é o primeiro romance da trilogia A Caçadora, de Vivianne Fair, autora que conquistou fãs pelas suas divertidas comédias românticas cheias de referências à cultura pop.

Resenha

Sorriso de Vampiro” é o primeiro volume da trilogia A Caçadora, comédia romântica de Vivianne Fair. Nela, encontramos Jéssica, uma mulher de 29 anos que tinha uma vida comum de secretária, até que de repente seus pais resolvem confessar a ela que são caçadores de vampiros. A princípio ela não acredita muito na história, mas seus pais querem que ela também seja uma caçadora, e um generoso cheque do “conselho” a convence a partir em sua primeira missão. O Conselho – organização para o qual seus pais trabalham – a enviam para matar um vampiro recém-transformado, em uma universidade na Pensilvânia, onde ela fingirá ser uma estudante. Para se infiltrar entre os estudantes ela acaba fazendo amizade com Estela, Dine e Sofia que são otakus, e ainda com Bobby, um nerd amigo inseparável das otakus. Logo que chega, ela percebe que ao que parece o conselho errou e a mandou matar o vampiro errado, pois aquele que ela encontra por lá não tem o nome indicado por eles, e nem é um vampiro inexperiente.

O Sorriso de Vampiro é um livro muito divertido, eu não conhecia ainda o trabalho da Viviane, mas me parece que ela e seus livros possuem uma boa quantidade de fãs na web. Gostei bastante da forma como ela escreve, usando a famosa “quebra da quarta parede” ela consegue imprimir muito bom humor a sua obra.

Minha mãe suspirou novamente, olhou-me diretamente nos olhos e soltou a bomba.         – Filha, somos caçadores de vampiros.                                                                 Pense assim, como você reagiria?

Como uma boa comédia, o livro possui um enredo cheio de situações engraçadas e piadinhas nonsense. A história em si não é muito profunda ou complexa, é até bem simples de se seguir, e talvez por isso tenha feito tanto sucesso entre o público a que se destina. O livro também é cheio de referências a vários elementos da cultura pop, como animes, mangás, filmes, etc. Além, é claro, de sua maior referência, “Buffy – a caça vampiros”.

Só teve uma coisa que realmente me incomodou, a Jéssica ter 29 anos mas agir o tempo todo como uma adolescente. Se a intenção da autora foi dar uma personalidade mais adolescente para a personagem, por que não criou uma personagem adolescente de verdade, como a própria Buffy? Ah, e a relação da Jéssica com o Zack? Realmente parecem dois adolescentes, sendo que ela tem 29 e ele 800 anos…

Oi, Jessi! Sou eu, Zack! Passei para dizer que não sei viver sem você. Ainda bem que estou morto. Se bem que você quer completar o serviço, não é? Um beijo no pescoço.

Com relação a capa, vemos uma ilustração muito legal do casal feito pela própria autora. Inclusive, pesquisando pela web, encontrei o blog da autora com várias ilustrações e tirinhas da série. Confiram: http://www.recantodachefa.com.br/

Foi uma leitura bem interessante, é um livro descontraído e simples que recomendo para aqueles leitores mais jovens que curtem histórias com situações divertidas e com referências a cultura pop, e também para as meninas que curtem aquele romance entre a menininha e o bonitão da escola. Não sou bem o público-alvo da obra, mas achei bem legal e quero ler o restante da trilogia.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | O Par Perfeito, Livro 3 – Trilogia A Pousada, de Nora Roberts

Mesmo sendo conhecido como o mais durão dos irmãos, Ryder Montgomery deixa as mulheres aos …

Resenha | Anjos – A Facção Iconoclasta, de Wudson Silva

O livro inicia por narrar os dias que antecederam a investigação sobre a morte de …