Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | A Cidade Flutuante, de Daniel Dias

Resenha | A Cidade Flutuante, de Daniel Dias

Em A cidade flutuante, os leitores conhecerão Dominó, uma jovem e famosa bailarina do reino de Urjwani, a capital do Império. Por força do magnetismo, a cidade consegue flutuar acima das outras cidades, que são exploradas para abastecer a capital de suas principais necessidades. Porém tudo muda quando três surpreendentes acontecimentos perturbam a tranquilidade em Urjwani: um atentado à vida do imperador, uma misteriosa fenda no céu da cidade e um violento ataque pirata. Filha de uma influente integrante do governo, Dominó começa a descobrir que os desastres que atingiram sua cidade guardam estranhas relações entre si. Em meio às revelações, a bailarina sofre um acidente e cai da cidade flutuante. Enquanto tenta voltar para casa, Dominó trava novas e improváveis amizades, e com ajuda delas vai descobrir que lendas podem ser verdades e sua vida, uma grande mentira.

Quem estaria por trás dessa trama? Conseguirá Dominó salvar o seu mundo de um desastre maior? A cidade flutuante apresenta aos leitores um mundo fascinante, onde o fantástico e o real se misturam.

Resenha

Escritores nacionais estão se destacando a cada dia no universo literário, prova disso, é essa narrativa incrível e envolvente de Daniel Dias em A Cidade Flutuante.

De forma encantadora, Daniel tece um intrincado enredo, que permite ao leitor uma viagem fantástica e cheia de aventuras.

Somos apresentados a Urjwani, uma cidade suspensa pela força magnética, onde Império e Templo entram em atrito .

Conhecemos Dominó, uma famosa bailarina, que depois de uma invasão sofrida em sua cidade pelos “piratas dos céus”, e uma misteriosa rachadura no céu, escorrega da cidade, na queda, consegue se segurar em um planador pirata, onde ambos caem direto no barco de um procurado pelo Império, nessa queda, Dominó conhece Gatuno – o pirata, Vicente o dono do barco, e Alegra sua filha.

E é dessa forma inusitada que começa a ventura de Dominó, que arrasta consigo Vicente, Alegra, Gatuno e demais personagens que encontra pelo caminho.

No início não me simpatizei com a personagem Dominó, pois apesar de demonstrar ser ingênua, e ter uma necessidade imensa de conhecer além da sua cidade, me pareceu um pouco mimada e arrogante, mas, no decorrer da narrativa, Dominó amadurece, e ao se deparar com perigos, revelações bombásticas e perdas, acaba por endurecer um pouco e assim acabou por me conquistar.

Gatuno, o pirata é simplesmente arrebatador com seu jeito jocoso, e ele e Dominó acabam trazendo cenas engraçadas à história.

Vicente e Alegra, transmite o amor incondicional, entre pai e filha, que navegam de cidade a cidade sem fixar moradia, vivem no barco chamado Milena.

Não poderia esquecer de Catarina, a pesquisadora amalucada que trouxe à trama momentos bem divertidos e de Theodoro o segundo capitão da guarda Imperial, que ajudou a dar um toque romântico à narrativa.

Daniel Dias escreve de maneira caprichosa, nos apresenta um mundo imaginário completamente diferente visto até hoje, criou personagens com sentimentos e atitudes reais, que enredam o leitor nesse mundo singular cheio de aventuras emocionantes.

Não vemos vilões e nem mocinhos aqui, vemos união, o encontro desses personagens tão peculiares, ao longo da busca de Dominó por respostas, os levam a se unir  para tentar salvar o Império e seu subúrbio, as nuvens dos Luminares com suas tecnologias, e a terra dos Bárbaros, enfim, o mundo.

Cada cenário é descrito de maneira minuciosa, tornando tudo interessante e com uma boa dose de mistério.

Essa fantástica história criada por Daniel Dias, é envolvente, apaixona o leitor já nas primeiras páginas, não tem como parar a leitura, se torna difícil, pois a cada página uma descoberta é feita, um mundo novo é encontrado, outro personagem arrebatador se revela, e assim queremos mais e mais.

Recomendo para leitores que gostam de literatura  fantástica como eu, garanto que vão se apaixonar pela história, seus personagens e pela escrita envolvente de Daniel Dias.

Fantástica e surpreendente.

A capa é linda como a história, a diagramação perfeita, papel de   excelente qualidade,  a editora Empíreo está de parabéns.

Assista o autor Daniel Dias falar sobre A Cidade Flutuante

Sobre Rê Souza

"As melhores viagens da minha vida eu fiz sem sair do lugar." "Uma paixão chamada livros" Rê

Leia Também

Resenha | A Terra Inteira e o Céu Infinito, de Ruth Ozeki

Uma vez, um velho Buda falou: Para o ser-tempo, parado no cume da montanha mais …

Resenha | Jogos Mentais, de Teri Terry

Luna vive em um mundo em que, todos os dias, milhares de pessoas se plugam …

  • Rê!
    Não tinha ouvido falar do livro e do autor, mas com certeza o é inédito em seu enredo carregado de uma fantasia diferente, porém não menos interessantes do que os outros.
    Fiquei curiosa pela leitura.
    cheirinhos
    Rudy

  • Esse livro é novidade para mim. Não conhecia se quer o autor, mas gostei bastante do que li aqui, gosto quando escritores inovam e criam mundos novos e diferentes.
    Acredito que seja sim um bom livro, pois, como você mesmo disse, os autores brasileiros tem se destacado cada vez mais, e entre as minhas dez leituras favoritas do ano, quatro são brasileiras.
    Assim que possível quero conhecer Cidade Flutuante e Domino.
    Ps: Adorei os nomes dos personagens.

  • Nossos nacionais estão subindo cada vez mais, a fantasia e enredo do livro parecem ter um rumo bem legal na estória, o nome da protagonista é bem estranho,… Dominó?
    Não gosto também de personagens ingênuas e bobas. Achei bem diferente o fato de não ter o vilão, quase toda obra tem.
    Beijos Rê, ThayQ.