Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | A Lenda do Lago Dourado, de Edson Vanzella Pereira

Resenha | A Lenda do Lago Dourado, de Edson Vanzella Pereira

Olá queridos leitores do Papiro Digital, sei que fiquei longe por muito tempo, logo logo vocês terão novidades sobre o porquê deste afastamento. Mas, sem mais delongas, apresento a vocês A Lenda do Lago Dourado!

Sinopse:

“Os Baltimore são uma típica família de uma pequena e pacata cidade norte-americana. Tudo muda para eles quando o filho mais velho, David, com 15 anos de idade, passa em primeiro lugar no Concurso nacional de Superinteligentes do Governo Americano.

Reconhecido como o novo grande gênio da nação, ele é contratado pelo governo para uma carreira de cientista. Mas, em sua primeira missão, envolve-se em um misterioso acidente que o deixa entre a vida e a morte. Srta. Marshall, agente do governo, responsável pela missão, sente-se culpada pela tragédia.

Max, o irmão mais novo de David, com a ajuda da Srta. Marshal, começa a investigar secretamente as circunstâncias daquele trágico e enigmático acontecimento. Na procura por respostas, eles se envolvem em aventuras perigosas, eletrizantes, e acabam descobrindo que, por trás de fatos aparentemente sem ligação, há uma trama cruel em curso.

Como pano de fundo, ainda temos uma misteriosa lenda envolvendo um lago conhecido como Lago Dourado, que vai eleger nada menos do que o próprio Max para uma missão vital ao lhe transmitir o Poder da Luz: localizar e destruir o Agente Negro, que é o mentor intelectual desse complô maligno que está pronto para eclodir.”

 Resenha

O livro de Edson Vanzella Pereira começa com o Concurso do Superdotado, uma espécie de olimpíada para gênios, que revela as grandes mentes dos EUA, só que por trás desse concurso há uma conspiração, da chamada Fraternidade da Escuridão (sim, eu sei). E para deter esses famigerados há a Irmandade da Luz.

A narrativa de Edson Vanzella é atrativa, porém cheia de clichês e frases forçadas, como se ao invés de estarmos lendo uma obra de ficção fosse uma cartilha de autoajuda ou bula religiosa. Creio que deveria ter trabalhado mais as ideias centrais, começando com como a superinteligência de Max funciona realmente, só nos joga que ele é super inteligente e consegue se “dar bem” nas coisas por ser super inteligente. Há poucas explicações realmente lógicas.

Mas admito que a sinopse foi o que deixou minhas expectativas para o livro tão grandes, apesar das falhas na construção eu li cada parágrafo, esperando chegar ao ápice. A fonte tem um bom tamanho e a leitura flui tranquilamente, o que mais do que ajudou no processo. Achei a simplicidade do fim pouco atraente, mas necessária.

Não chega a ser um livro ruim, só que poderia ter sido mais amadurecido antes de publicado. Gostei da edição, o trabalho da editora Dracaena vem evoluindo bastante desde publicações anteriores (Leia a resenha de Contos de Meigan). A edição tem 378 páginas, parece que o problema com a orelha da capa se esgarçando com a umidade foi resolvido, a capa é mais resistente e a plastificação brilho ficou perfeita com a imagem escolhida para representar a obra. Geralmente não sou lá um grande fã de capas feitas com montagens, mas devo dar o braço a torcer e dizer que a escolha foi perfeita.

A Lenda do Lago Dourado, que pela temática visava o público young adult, poderia ser descrito com um “livro adulto para crianças”, não contém cenas pesadas demais e é de argumento fácil. Diria que uma faixa etária entre 11 e 13 anos.

Booktrailer

Autor: Edson Vanzella Pereira

Gênero: InfantoJuvenil,Ficção

Editora: Dracaena

Nº de páginas: 378

Dimensão: 14×21

download

As minhas notas de 0 a 5:

Arte da Capa 4

Enredo 2

Diagramação Interna e Revisão 4

Facilidade de Leitura 5

Onde comprar: Dracaena

Sobre Baltazar de Andrade

Baltazar de Andrade nasceu com outro nome, mas acha Baltazar muito mais bonito. Criado nas imediações de Curitiba, cresceu rodeado pela coleção de livros do pai. Metamorfose - O Inimigo Nas Sombras é seu primeiro livro. Atualmente vive com a esposa e a filha, além de sua própria coleção de livros de estimação e uma gata muito manhosa. Paralelamente a série "Rastro Psíquico" está escrevendo o livro O Vidente de Aparelho Quebrado. Amante inveterado da literatura nacional e criador relapso de idéias fugitivas.

Leia Também

Resenha | Não Fale Com Estranhos, de Harlan Coben

O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. …

Resenha | Marvel: Guerra Civil, de Stuart Moore

A épica história que provoca a separação do Universo Marvel. Homem de Ferro e Capitão …