Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Anjos – A Facção Iconoclasta, de Wudson Silva

Resenha | Anjos – A Facção Iconoclasta, de Wudson Silva

O livro inicia por narrar os dias que antecederam a investigação sobre a morte de Judith, a catequista, e continua após a partida do detetive Clóvis da cidade interiorana de Rio Vermelho.

Desta maneira, o livro anterior se passa em um lapso de tempo deste, que além de incluir as novas dificuldades investigativas devidas à intromissão dos inspetores externos Noêmia e César, revela novos aspectos da caótica filosofia angelical.

A principal abordagem de Anjos a facção iconoclasta refere-se às práticas de explodir imagens sagradas em igrejas católicas.

Mas Clóvis, o detetive que interpreta anjos, descobre a origem desta estranha tendência e se infiltra no audacioso e criativo fórum virtual de debates, o Art Forays, no qual enigmáticas mensagens são inseridas pelo grupo criminoso para indicar igrejas e métodos de detonação das esculturas religiosas que estas igrejas contenham.

O desafio é interpretar essas mensagens para, chegando antes, evitar que novas explosões acabem por deflagrar uma guerra religiosa, de proporções incalculáveis. Os católicos estão irados, e não estão mais dispostos a aceitar a profanação de seus templos e signos sagrados.

Resenha

Primeiro, mil perdões pelo atraso, esta resenha já deveria ter saído a muuuito tempo, mas não foi possível por diversos fatores. Em Anjos – A Facção Iconoclasta, o segundo livro da série Anjos, cujo primeiro volume, O Segredo de Judith, foi resenhado por aqui já tem algum tempinho, narra os dias antes da investigação da morte de Judith no livro anterior! É uma continuação direta do primeiro, mas que daria para ser lido antes de ler o segredo de Judith, mas eu não recomendo, pois o livro dois contém um grande spoiler do primeiro.

A trama começa com uma estranha e enigmática tentativa de suicídio, um jovem ligado à facção iconoclasta pula numa jaula de leões gritando que não iria para o céu… Mais à frente na história, percebemos o quanto este fato é importante para a resolução dos crimes realizados pela facção iconoclasta.

Só que tem coisas que os livros não explicam, assim como situações que muitos adultos ignoram

O foco da trama são as investigações sobre uma onda de ataques sofridos por diversas igrejas católicas pelo Brasil afora. O nosso já conhecido e prestigiado detetive Clóvis, lidera uma equipe de policiais na investigação da facção responsável por explodir imagens sagradas nos altares das igrejas. Paralelo a isso, vemos o pastor Irineu Morais, um líder religioso muito conhecido devido ao seu programa de televisão. O Pastor Irineu torna-se um dos principais suspeitos, devido aos seus sermões enfáticos contra a adoração de imagens.

Durante a trama toda a equipe composta pelo delegado Santiago e pelos investigadores Cassiano, Joyce e Thadeu, tem que correr contra o tempo tentando evitar novos ataques através da resolução de charadas encontradas num fórum de internet. E ainda driblar os inspetores César e Noêmia, que estão lá para investigar os métodos pouco ortodoxos da equipe de Clóvis.

O autor conseguiu criar uma obra muito interessante, cheia de mistério e ação. Os enigmas encontrados são muito bem elaborados e consistentes, as cenas de ação te deixam apreensivo como se tivesse vendo um filme, é uma narrativa muito bem estruturada com personagens muito bem construídos. Um detalhe curioso é que neste volume ele focou menos no sobrenatural, apesar dos anjos serem um ponto crucial na investigação, eles não nos são apresentados da mesma forma que o foram em O segredo de Judith, sua “participação” é mais discreta.

Percebendo o perigo, Cassiano desceu com o helicóptero em rasante, passando por debaixo da passarela e obrigando um dos carros a parar abruptamente, dando passagem à viatura. Clóvis passou debaixo do helicóptero e desviou perigosamente de mais um veículo adiante. Estando livre, pisou ao máximo no acelerador. O helicóptero foi na frente, alertando os outros motoristas. Em instantes se deparariam com Noêmia e seus perseguidores.

Com relação a capa, de quem serão esses olhos, hein?! Depois do livro lido você percebe o quanto ela diz tudo, foi uma excelente solução pro projeto gráfico. A diagramação é simples e bem feita e não encontrei nenhum erro relevante na revisão.

Finalizando, esta é uma trama policial eletrizante, com ação e mistério do início ao fim, e o melhor de tudo é que o final não é nem um pouco clichê. Vale muito a pena, é uma obra incrível!

Iconoclasta é o nome dado ao membro do movimento de contestação à veneração de ícones religiosos que surgiu no século VIII denominado Iconoclastia. O termo iconoclastia significa literalmente quebrador de imagem e tem origem no grego eikon (ícone ou imagem) e klastein (quebrar).

O livro inicia por narrar os dias que antecederam a investigação sobre a morte de Judith, a catequista, e continua após a partida do detetive Clóvis da cidade interiorana de Rio Vermelho. Desta maneira, o livro anterior se passa em um lapso de tempo deste, que além de incluir as novas dificuldades investigativas devidas à intromissão dos inspetores externos Noêmia e César, revela novos aspectos da caótica filosofia angelical. A principal abordagem de Anjos a facção iconoclasta refere-se às práticas de explodir imagens sagradas em igrejas católicas. Mas Clóvis, o detetive que interpreta anjos, descobre a origem desta estranha tendência…

Anjos - A Facção Iconoclasta

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Excelente!

Esta é uma trama policial eletrizante, com ação e mistério do início ao fim, e o melhor de tudo é que o final não é nem um pouco clichê. Vale muito a pena, é uma obra incrível!

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | A Rainha das Trevas, de Anne Bishop

Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo …

Resenha | Ninfeias Negras, de Michel Bussi

Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, …

  • Ótima Resenha!
    Gostei da temática do livro. A leitura pelo que entendi em sua resenha é bem fluída, gosto de histórias que eu consiga avançar com a leitura sem maiores problemas. Nada pior que uma leitura empacada.

    Blog Combo Pop
    https://goo.gl/23fHTr

    • Sim, é bem fluida. Obrigado pela visita!

      Abraço