Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Armamentista, de Joe de Lima

Resenha | Armamentista, de Joe de Lima

A conspiração era só o começo. Com a sombra da guerra civil pairando sobre Vera Cruz, Arcanum, Guarda Nacional e Voz Verde mostram suas armas.

Meses após o Assalto ao Trem Regencial, Marcel se vê longe de Camilla enquanto busca compreender qual é seu papel no confronto que se aproxima. Ao perceber que já não pode confiar no diretor Cecil, ele decide voltar-se contra a Arcanum, mergulhando num cenário cheio de segredos, onde é difícil saber quem é amigo e quem é inimigo. Encurralado por todos os lados, Marcel irá se lançar numa corrida contra o tempo para proteger aqueles que ama.

Segundo Volume da Trilogia Vera Cruz, Armamentista traz de volta o mix de narrativa cinematográfica, aventura, conspiração e romance, numa trama que fala sobre família, confiança e amor.

Resenha

Armamentista é o segundo livro da Trilogia Vera Cruz, uma distopia nacional onde a sociedade foi totalmente reformulada depois de uma grande guerra. Esta sociedade é dividida pela disputa de poder entre o governo (e sua guarda nacional) e o exército independente Arcanum, disputa ainda mais inflamada pelas ações eco-terroristas do grupo Voz Verde. Seguindo a mesma linha narrativa do anterior, em o Armamentista vemos as consequências das ações desencadeadas com a tentativa de assassinato de Camilla Noble, a filha mais velha do Regente. Em meio a isso temos o jovem arcanista Marcel Seeder, que no livro anterior se viu bem no centro desta disputa. Agora ele sabe tudo sobre a conspiração que quer iniciar uma guerra civil, e agora ele tem que tomar uma decisão, ou fica ao lado de seus colegas e familiares ou entra com tudo na luta pelo que acha ser o certo.

(…) A pergunta de Lazara ecoou na mente de Marcel: “De que lado você está?”. Não dava para negar que o novo equipamento da Guarda Nacional era um sinal de estarem prontos para a luta. Ele havia lido sobre isso no mesmo artigo que falava das SUVs Brigades. Algo chamado “corrida armamentista” estava em andamento. Logo a Arcanum daria uma resposta.

Falando um pouco da narrativa… meses após os acontecimentos do livro I, vemos um Marcel amadurecendo seu poderes de arcanista a níveis surpreendentes, ao mesmo tempo em que tenta descobrir um pouco mais sobre a instituição a qual pertence, para enfim decidir de qual lado ficar. Esta sequência tem um pouco mais de conspiração que, apesar de aparentemente manter um enredo previsível, nos surpreende na medida certa. Além disso, sendo ainda uma distopia cheia de tecnologia, magia e aquela pitada de romance adolescente, não poderia faltar novos aspectos de todas essas características. Mas o meu destaque todo especial vai para a forma como o autor mostra a personalidade de cada personagem, desde os principais até os mais secundários. Por exemplo, vemos as dúvidas que afligem a mente de uns e as mudanças surpreendentes no agir de outros, além disso percebemos a reação que cada um deles tem a determinadas situações que acontecem no decorrer da trama…

Abrindo um pequeno parênteses, por mais estranho que possa parecer, a forma de escrever do autor me lembrou o Código da Vinci do Dan Brown, não pela ação ininterrupta, não é isso. O que me lembrou foi a “atualização para jovens” da obra, que a princípio eu não conseguia compreender, imaginava que fosse apenas um caça-níquel, mas não é só para ganhar mais dinheiro, realmente o livro possui mudanças significativas, e é exatamente aí que Joe de Lima me fez lembrar o Dan Brown, esse novo “código” vem nessa linguagem utilizada no Armamentista, uma linguagem que nos deixa entrar na mente do personagem, que nos faz entender bem o que se passa com ele, uma linguagem que facilita o entendimento da história. E isso é um ponto muito positivo.

Com relação a capa, vemos uma melhora bem significativa com relação a versão do livro I que li, mesmo sendo simples como a maioria dos livros independentes, a capa possui uma arte muito bem feita de um uniforme militar. E a diagramação é simples, sem muitos floreios. Agora, já com relação a revisão, encontrei alguns erros de concordância e até esquecimento de palavras, que é algo compreensível por ser um trabalho independente e não atrapalhar em nada na leitura. Apesar disso o autor fez questão de me passar uma versão revisada, após ter lhe dado o feedback a respeito.

Bom é isso, a Trilogia Vera Cruz é uma série distópica repleta de ação, que nos transporta para um mundo cheio de tecnologia, eco-terrorismo, magia e romance adolescente. O Armamentista mantém a vibe do livro anterior, e ainda nos entrega uma trama ainda melhor que, além de ser recheada de ação e aventura do início ao fim que nos deixa de sobressalto a cada reviravolta, também é cheia de conceitos como família, amor e amizade.

***

Trilogia Vera Cruz

A conspiração era só o começo. Com a sombra da guerra civil pairando sobre Vera Cruz, Arcanum, Guarda Nacional e Voz Verde mostram suas armas. Meses após o Assalto ao Trem Regencial, Marcel se vê longe de Camilla enquanto busca compreender qual é seu papel no confronto que se aproxima. Ao perceber que já não pode confiar no diretor Cecil, ele decide voltar-se contra a Arcanum, mergulhando num cenário cheio de segredos, onde é difícil saber quem é amigo e quem é inimigo. Encurralado por todos os lados, Marcel irá se lançar numa corrida contra o tempo para proteger aqueles…

Armamentista

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Excelente!

O Armamentista mantém a vibe do livro anterior, e ainda nos entrega uma trama ainda melhor que, além de ser recheada de ação e aventura do início ao fim que nos deixa de sobressalto a cada reviravolta, também é cheia de conceitos como família, amor e amizade.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | Jogos Mentais, de Teri Terry

Luna vive em um mundo em que, todos os dias, milhares de pessoas se plugam …

Resenha | HQ O Perfuraneve

Considerada uma das melhores HQ’s de ficção científica, a trama de O Perfuraneve se passa …