Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Colega de Quarto, de Victor Bonini

Resenha | Colega de Quarto, de Victor Bonini

Eric Schatz, carioca que se mudou para São Paulo por conta do curso universitário, começa a perceber indícios de que há mais alguém frequentando o seu apartamento.

Primeiro, um par de chinelos. Então, uma outra escova de dentes. Um micro-ondas que é ligado sozinho durante a noite, barulhos estranhos a qualquer hora e luzes que se apagam de modo misterioso. Até que, em determinada noite, Eric enxerga o vulto do colega de quarto entrar em seu apartamento pela porta da frente. Desesperado, o rapaz vai atrás de um detetive particular, mas parece ser tarde demais. Em menos de 24 horas, tudo acontece de modo acelerado e depois de uma ligação desesperada, cortada abruptamente, Eric despenca da janela do seu apartamento.

Em seu livro de estreia, o autor nos apresenta uma história urbana de tirar o fôlego. Um mistério que passa por uma relação familiar complicada, suspeitas por todos os lados, e camadas e camadas de culpados. Há alguém inocente?

Resenha

Colega de quarto é um livro sensacional! Tem uma história que te envolve do início ao fim, ele te deixa cheio de perguntas sem respostas até o finzinho, quando tudo é brilhantemente esclarecido, tal qual os livros da Agatha Christie e do Conan Doyle.

Agora, raciocine comigo… você é um garoto riquinho e mimado, que mora sozinho num luxuoso apartamento. De repente coisas estranhas começam a acontecer, você começa a notar surgirem pela casa objetos que não lhe pertencem, luzes apagando e acendendo de vez em quando, a descarga do banheiro sendo acionada, etc. Até que certo dia acontece a situação limite, você vê um vulto no seu apartamento! O que você sente? Será que está ficando louco? Será alguém brincando com você? Ou você tem um colega de quarto invisível mesmo? Pouco tempo depois, você despenca da janela de seu apartamento. Teria sido suicídio ou assassinato? Assustador, né!? Esse é apenas o início deste eletrizante e empolgante thriller psicológico.

[…]A situação é a seguinte: já há alguns dias, tenho a impressão de que… bem… de que não estou mais morando sozinho em meu apartamento.

Após começar a perceber o “colega de quarto”, Eric Schatz resolve procurar a ajuda do detetive/advogado Conrado Bardelli, que não dá lá muita atenção ao filhinho de papai. No dia seguinte, depois de ser informado da morte do garoto, Bardelli começa a investigar o que teria acontecido. E conforme ele vai avançando em sua investigação, ele acaba por perceber que as coisas talvez sejam mais do que parecem ser, começando então a questionar o suicídio de Eric.

Nenhuma das testemunhas até agora apontara o rapaz como um desequilibrado ou alguém capaz de tomar decisões extremas de uma hora para outra – portanto, alguém pouco propício ao suicídio repentino.

O enredo do livro é muito interessante e sinistro, e trás personagens igualmente interessantes. Na minha opinião o detetive Bardelli passa a integrar o rol de grandes detetives da literatura, como Auguste Dupin, Sherlock Holmes e Hercule Poirot. Encontramos de tudo, desde intrigas familiares, a mentiras, suspense e muito mistério.

O Bonini escreve de forma muito simples e fácil de entender, sem muita enrolação, então se torna uma leitura bem fluida e rápida.

Com relação ao projeto gráfico, a capa é perfeita, transmite bem o que a gente vai encontrar no livro. Já o miolo do livro, a diagramação é muito bem feita, com a divisão de capítulos muito bem estruturada. A gramatura das páginas, como de costume em algumas obras da Faro, é mais grossa que o normal, tornado-as mais gostosas de manusear.

Finalizando, preferi não falar muito da história em si para não estragar o prazer do suspense e do mistério presente em todo o livro. Mas posso garantir que é um livro que vale muito a pena ser lido. E, repetindo, se você gosta dos livros policiais clássicos vai adorar a conclusão, foi surpreendente! Espero que o autor nos brinde no futuro com mais aventuras de Conrado Bardelli.

—–

Booktrailer

 

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual, de Arley França

Depois de um planejamento maquiavélico, estruturado em cem anos, os seres infernais conseguiram a maior …

Resenha | O medo mais profundo, de Harlan Coben

Na época da faculdade, Myron Bolitar teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma …

  • RUDYNALVA SOARES

    Vixe Cleson!
    O livro está entre os mais desejados por mim.
    Gosto demais de mistério e suspenso e tenho lido tão bons comentários sobre o livro.
    E agora você ainda diz que o detetive Bardelli deve entrar para o ‘hall’ dos melhores detetives, uauuuuuuu!
    Ansiosa pela leitura.

    “O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada.
    Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.”(Cora Coralina)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

  • Edson Chaves Souto

    Grato pelos mistérios!

  • Pingback: Promoção Fim de Ano É Festa - Papiro Digital()