Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Intergaláctica, de F. P. Trotta

Resenha | Intergaláctica, de F. P. Trotta

intergalactaUma conspiração para controlar o rumo da mais importante expedição espacial da história da humanidade. 3 de Maio de 2031 – No dia de lançamento da aguardada expedição da NASA para explorar a lua de Júpiter, uma das candidatas para habitar vida extraterrestre, a psiquiatra Amanda Collins acorda de um coma após meses batalhando contra uma meningite aguda.

Junto com seus pacientes Stryker, Ripley e sua amiga Lina, eles descobrem que fazem parte de um crescente quebra-cabeça envolvendo uma corporação geopolítica underground chamada A Firma, que planeja sabotar a missão, usufruindo de uma nova tecnologia para saquear a nave e destiná-la para um planeta habitável localizado dezessete anos luz da Terra. O quarteto então inicia uma operação para descobrir a verdade por trás da conspiração, mergulhando de cabeça na maior expedição planetária da história da humanidade.

Resenha

Intergaláctica é uma aventura Sci-Fi bem interessante, que acabou por me surpreender de forma bem positiva, pois eu esperava algo um pouco mais clichê e não foi o que aconteceu. A princípio parecia ser apenas mais do mesmo, mas de repente tudo muda e vemos um turbilhão de acontecimentos que nos deixam um pouco sem fôlego.

O livro começa mostrando a protagonista Amanda quando criança, mostra a relação dela com seu pai distante, o cientista Oswald. Em seguida, salta para uma noite em que ela entra no laboratório do pai, após ver uma luz acesa onde não deveria haver ninguém, e se depara com coisas estranhas a ela. Ela ouve gritos e vê o pai saindo de uma sala onde parecia realizar algum experimento, enquanto foge assustada com aquilo, acaba levando para fora do laboratório um objeto esférico que lhe chamou a atenção. Logo em seguida o alarme dispara e surge um helicóptero e vários soldados armados para impedi-la de levar o objeto.

– Papai, você acha que pode inventar algo pra me fazer voar? – perguntou Amanda, com apenas nove anos, à seu pai, enquanto sentava para comer seu almoço na cozinha. A empregada, Shirley, ajudava Amanda a se servir. Oswald, que sentava no final da mesa, olhava para Amanda enquanto folheava uma pilha de arquivos e documentos, sorrindo à ela ambiguamente.

Após isso, a história dá outro salto e vemos o pai de Amanda tentando realizar uma experiência com ela… após isso, temos um novo salto e vemos ela saindo de coma devido a uma meningite aguda. Após acordar do coma, e contar que teve uma experiência estranha (tipo aquelas pós-morte), Amanda acaba descobrindo por meio de Ripley e Stryker, amigos e pacientes dela, que uma expedição a Europa, lua de Júpiter, está sendo anunciada. Após isso, durante uma conversa com Ripley, Stryker e Lina (amiga de Stryker) em um café, supostos policiais dão voz de prisão a Amanda, ela reage e foge com os outros três para seu apartamento, onde ela conta que os policias eram homens de seu pai disfarçados. Logo, foragida e caçada pelo pai ela começa a bolar um plano pra se infiltrar na “Firma”, organização liderada por ele,  para poder impedi-lo de fazer o que ela pensa que ele está tramando.

A partir daí percebemos que Amanda é mais do que aparenta ser, e a história começa a andar. Enquanto a Terra aguarda ansiosamente para confirmação de se existe vida marinha ou não nos oceanos de Europa, eles planejam entrar no coração da organização liderada por seu pai e agir como agentes infiltrados na maior e mais ambiciosa missão de exploração planetária da história da humanidade: a secreta operação da Firma para uma segunda Terra localizada 17 anos luz de nosso lar, conhecida como Gliese 581 g.

Eu poderia lhes dizer todos os adjetivos do mundo para descrever a beleza daquele lugar em que eu me achei. Era vibrante,vivo,etéreo,superior,magistral.Parecia que meu corpo todo flutuava em êxtase.

A narrativa é fluida, rápida e simples. É uma ficção científica muito bem articulada. Eu li em alguns locais que o gênero do livro seria uma mistura de Realidade Fantástica com Ficção Científica, discordo, não acredito que esse gênero se adeque tanto a obra, ela é puramente Sci-Fi. Aliás, eu diria que, em parte, ela é uma Space Opera no melhor estilo Flash Gordon (até consegui ouvir um Under Pressure lá no fundo, durante um dos passeios! ), ou até mesmo, em outro momento, um conto de Isaac Asimov com suas referências e questões filosóficas do ser humano.

Apesar da aparente simplicidade da narrativa, o autor conseguiu criar uma complexo mundo com criaturas e cenários dos mais diversos, uma espécie de Tolkien de ficção científica (só que sem os exageros nos detalhes). Criando uma viagem insana de elementos te levando de um plot twist a outro, o ritmo do livro se torna frenético, fazendo com que as coisas não parem de acontecer a todo tempo. Dito isso, só faço uma pequena ressalva, o autor poderia ter desenvolvido mais alguns detalhes da história e desmembrado em mais de um livro ou em capítulos maiores no mesmo livro (apesar de que prefiro livros com 300 pág mesmo).

(…)Lina, Amanda, Stryker e Sam então viram criaturas saindo do mar por detrás das plataformas, segurando nos pilares para se puxarem para cima. Tudo que viram de início foram mãos e braços gosmentos e cinza, até que as cabeças das criaturas apareceram e eles notaram cabelos sedosos e quase brancos, brilhando contra o reflexo do sol que descia. (…)

Com relação ao projeto gráfico, a Livros Ilimitados demonstrou um cuidadoso trabalho de design editorial. A capa é muito bem trabalhada e representa bem a ideia do livro. Já as páginas, elas são incrivelmente ásperas e mais espessas que o comum, com espaçamentos e margens muito confortáveis a leitura, além da excelente ideia de ilustrações no meio da narrativa para representar as passagens de tempo. Agora com relação a revisão, não posso opinar, pois o Trotta informou que a edição cedida é uma não revisada, então seria injusto citar os erros encontrados. Ah, o detalhe curioso é que Trotta escreveu o livro originalmente em inglês e depois ele mesmo o reescreveu em português, então é mesmo necessário uma revisão bem cuidada.

Bom, então é isso, Intergaláctica é um livro recomendadíssimo para quem curte o gênero e ficou curioso com as notícias sobre uma segunda Terra que tem surgido ultimamente na imprensa. É uma viagem muito louca, insana e incrivelmente “atual” que merece sim ser lida por quem curte o gênero Sci-Fi, por quem tá na hype de Interestelar ou simplesmente por quem quer conhecer algo novo.

Eu sei que existem muitos outros mundos. Muitos mais mares e florestas. Uma infinidade de tipos, raças. Eu não consigo entender como chegamos tão longe como sociedade com mentes tão estreitas, uma estupidez alucinante.

Book Trailler

Saiba mais sobre o verdadeiro Gliese 581 g

Gliese 581 g é um dos pelo menos seis planetas extrassolares encontrados em órbita de Gliese 581, uma estrela anã vermelha M3V a 20,3 anos-luz de distância da Terra, na Constelação de Libra.

A descoberta de Gliese 581 g foi anunciada em 29 de setembro de 2010, e acredita-se ser o planeta mais semelhante à Terra, e o melhor candidato exoplaneta com potencial para abrigar vida encontrada até hoje.

Ele tem uma massa três vezes superior à da Terra e parece ser rochoso. Orbita a sua estrela a uma distância que o coloca bem no centro da chamada “zona habitável”, onde a água poderá existir em estado líquido à superfície do planeta. Se Gliese 581 g possuir uma composição rochosa semelhante à da Terra, seu diâmetro pode ser estimado entre cerca 1,2 a 1,4 vezes superior ao da Terra, portanto terá gravidade suficiente para conseguir reter a sua atmosfera.

Fonte: Wikipedia

Últimas notícias

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | Anjos – A Facção Iconoclasta, de Wudson Silva

O livro inicia por narrar os dias que antecederam a investigação sobre a morte de …

Resenha | A Fábrica de Robôs, de Karel Tchápek

Esta peça, publicada em 1920, apresenta um mundo onde o avanço indiscriminado da ciência e …

  • Olá! Tudo bem?
    Nossa, eu AMEI a sua resenha! <3
    Li Intergaláctica no fim do mês passado e concordo em número, gênero e grau com tudo o que disse!
    Agora é esperar roendo as unhas para o próximo livro!

    Beijos e até!

    http://www.dreamsandbooks.com

    • Cleson

      Obrigado pela visita, Lorrane!

      Também estou no aguardo do próximo livro.

      Beijos