Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | O Despertar do Príncipe, de Colleen Houck

Resenha | O Despertar do Príncipe, de Colleen Houck

O Despertar do PríncipeO Despertar do Príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia. 

Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade.

Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem.

Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos.

A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth.

Resenha

Liliana Yong é a típica pobre garota rica, uma jovem de 17 anos que mora em um luxuoso hotel na rica Nova York junto com seus pais. Ela tem tudo do bom e do melhor que o dinheiro pode comprar, em troca os seus pais apenas pedem que ela siga suas rígidas regras. Apesar de ter tudo a seus pés, a jovem não é uma garota esnobe e afetada, é uma menina que tenta convencer seus pais e lhe deixarem tomar suas próprias decisões. Em um determinado dia, ela vai ao Metropolian Museum of Art e, enquanto pensa em uma maneira de convencer os pais a deixá-la escolher sua própria carreira, acaba por ver uma múmia cruzar seu caminho. Na verdade, é um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. Amon é o Príncipe do Sol, e desperta uma vez a cada milênio para realizar uma cerimônia junto com seus dois outros irmãos, cerimônia essa que impedirá o Deus Seth de dominar o mundo com sua maldade.

Ao me virar para ir embora, olhei para baixo e de repente percebi duas coisas: primeiro, que o sarcófago não continha nenhuma múmia; e segundo, que a serragem exibia outro conjunto de pegadas além das minhas, pegadas deixadas por pés descalços e que se afastavam do sarcófago.

A mitologia sempre me atraiu, sendo esse o segundo livro sobre a cultura egípcia que leio, e nesse Colleen Houck conseguiu de forma bastante fluída e coerente embasar sua trama em lendas egípcias bem conhecidas. Além disso, a autora claramente fez um excelente trabalho de pesquisa sobre a geografia e pontos turísticos do Egito.

Gostei bastante da forma como a autora foi introduzindo os elementos fantásticos na obra, principalmente com relação a jovem Lilly, que é como Amon a chama. Lilly a princípio não consegue compreender o que está acontecendo, e fica procurando explicações racionais a todo instante, até que não tem jeito e ela acaba por aceitar que diante dela se encontra uma múmia reencarnada. Só fiquei um pouco decepcionado com o mote para levá-los ao Egito, após contar para a sua jovem amiga que precisava encontrar os irmãos e seus jarros canópicos (vitais para sua sobrevivência), eles de imediato resolvem viajar para tentar descobrir onde eles estão. Beleza, a viagem é necessária pro desenrolar da história, mas viajar às cegas não me pareceu algo muito inteligente no mundo moderno em que vivemos. Seria mais lógico uma breve pesquisa no google e uns outros tantos breves contatos telefônicos (já que ela é filha de pais ricos e influentes!), e então poderiam viajar já tendo uma ideia de por onde começar, ou não. Mas não é nada que interfira nos acontecimentos, muita gente nem vai se importar com isso, é só um preciosismo de minha parte. 

Também achei muito interessante a ideia de criar um vínculo entre a menina e o príncipe, fazendo com que ele precisasse sempre dela, e com isso criando a situação para tornar o romance mais crível.

— Você não está entendendo. Sem os meus jarros, eu preciso compartilhar de sua força vital.                                                                                                                          — Compartilhar da minha… Bom, olhe só, é que neste momento eu estou usando a minha força vital, entende?

Mesmo assim, o romance entre os personagens principais não é o foco principal deste primeiro livro da série, ele é apenas introduzido, já que o enredo é todo em torno da aventura e da busca de Amon pelos irmãos para deter Seth. Mas pelos sacrifícios de ambas as partes, durante toda a aventura, percebemos o quanto esse amor será intenso, sofrido e encantador.

— Sem você eu seria uma balsa lançada em uma mar revolto sem vela nem ancora. Estaria realmente perdido.

O Despertar do Príncipe é uma aventura repleta de armadilhas características dos melhores enredos com pirâmides e múmias. Nos são apresentadas também diversas criaturas sobrenaturais e algumas divindades ao decorrer da trama.

Com relação a capa, ela é belíssima, com a imagem do olho de Hórus em destaque dando um toque todo especial (ele tem importância vital na história).

Finalizando, esse primeiro volume da série Deuses do Egito é uma trama incrível cheia de aventura, magia, sacrifício e romance. Recomendadíssimo para quem curte uma boa aventura, gosta de um bom romance e quer aprender mais sobre outras culturas. No final do livro temos uma ponta para o segundo volume: O Coração da Esfinge. O que nos deixa bem ansiosos pelo retorno de Lilly e Amon.

— A Eternidade é um tempo longo demais para não se ter alguma coisa para lembrar.

 

Book Trailer

O Despertar do Príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia.  Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem…

O Despertar do Príncipe

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Excelente!

Esse primeiro volume da série Deuses do Egito é uma trama incrível cheia de aventura, magia, sacrifício e romance. Recomendadíssimo para quem curte uma boa aventura, gosta de um bom romance e quer aprender mais sobre outras culturas.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | 1+1 – A Matemática do Amor, de Augusto Alvarenga e Vinícius Grossos

“Não lembro muito bem como eu e o Bernardo nos conhecemos. Até onde sei, ele …

Resenha | A Terra Inteira e o Céu Infinito, de Ruth Ozeki

Uma vez, um velho Buda falou: Para o ser-tempo, parado no cume da montanha mais …