Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | O medo mais profundo, de Harlan Coben

Resenha | O medo mais profundo, de Harlan Coben

lancamento-comprar-o-medo-mais-profundo-myron-bolitar-harlan-coben-capa-livro

Na época da faculdade, Myron Bolitar teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma dolorosa quando a namorada o trocou por seu maior adversário no basquete. Por isso, a última pessoa no mundo que Myron deseja rever é Emily Downing. Assim, ele tem uma grande surpresa quando, anos depois, ela aparece suplicando ajuda. Seu filho de 13 anos, Jeremy, está morrendo e precisa de um transplante de medula óssea – de um doador que sumiu sem deixar vestígios. E a revelação seguinte é ainda mais impactante: Myron é o pai do garoto.

Aturdido com a notícia, Myron dá início a uma busca pelo doador. Encontrá-lo, contudo, significa desvendar um mistério sombrio que envolve uma família inescrupulosa, uma série de sequestros e um jornalista em desgraça.

Nesse jogo de verdades dolorosas, Myron terá que descobrir uma forma de não perder o filho com quem sequer teve a chance de conviver.

RESENHA

Em mais uma história de Myron Bolitar (Sétimo livro com o protagonista. Os anteriores: Quebra de Confiança, Jogada Mortal, Sem Deixar Rastros, O Preço da Vitória, Um Passo em Falso e Detalhe Final), Harlan Cobem reafirma sua capacidade incrível de criar histórias mirabolantes e cheias de surpresas a partir de situações corriqueiras e personagens que poderiam representar qualquer pessoa comum que conhecemos.

Embora seja o sétimo livro, assim como nas histórias de Robert Langdon (Dan Brown) ou da dupla Rizzoli e Isles (Tess Gerritsen), nesta série não é preciso ler os anteriores para entender a trama. Talvez, no máximo, se perca em alguns detalhes específicos e particulares do protagonista, mas a história em si é completamente bem entendida independente da leitura dos anteriores.

Desta vez Myron Bolitar está às voltas com uma aventura cheia de riscos que é muito mais pessoal que qualquer outra. Com a chamada “Do que você seria capaz para salvar seu filho?” apresentada na capa, podemos já vislumbrar o cerne da história. Sim, aqui Myron tem um filho (que até então não conhecia). E sim, ele está em risco. E o risco é mais complexo do que “simplesmente” estar sob o domínio de sequestradores, por exemplo. Está em risco de morte e precisa de um doador de medula.

Bom, até o momento em que a história gira em torno da descoberta deste filho, e a busca pelo doador compatível que resolveu desaparecer, a história me pareceu um tanto parada e fora de contexto, como se não fosse de Harlan Coben. Estava tudo rotineiro demais.

Corriqueiro demais até que Myron é persuadido a investigar este tal doador compatível desaparecido. Aí sim o leitor é levado a conhecer uma trama de intrigas e interesses e um vai-e-volta impressionante e com descobertas inusitadas até o final, com revelações que eu não havia sequer cogitado… Em suma, este é, sim, mais um livro com a marca registrada de Harlan. E eu gostei muito.

Nesta trama Harlan trabalhou bem sobre as consequências dos segredos familiares e sobre o quanto se pode ser inescrupuloso quando estes segredos possam estar sendo ameaçados. Até onde você iria caso percebesse que aquele seu segredo guardado a sete chaves pudesse vir a ser descoberto? Inclusive, esta poderia ser a pergunta instigante da capa. Até chegar a determinado ponto da história o leitor não faz a menor ideia de até onde se pode chegar…

Para emprestar um pouco de leveza à história, Myron tenta – sem sucesso – ser engraçado e fazer piadinhas subjetivas em vários diálogos. Mas nem sempre tem sucesso com seu humor “refinado”.

Myron parou no estacionamento e se aproximou do Homem de Granito.
– A Srta. Lex gostaria de vê-lo.
– Sabe o que ela quer?
O Homem de Granito ignorou a pergunta.
– Talvez ela tenha me visto fazendo flexões pelas câmeras e queira me conhecer melhor – arriscou Myron.
O Homem de Granito não riu.
– Você já pensou em ser comediante profissional?
– Já recebi uns convites.
– Aposto que sim. Entre no carro.

Enfim. O medo mais profundo é um livro indispensável para os leitores amantes de investigações, segredos descobertos, reviravoltas e finais surpreendentes.

A edição da Arqueiro faz jus à obra, com tradução, revisão, projeto gráfico e diagramação bem feitas. São 270 páginas de uma obra bem escrita e bem feita. Recomendo sem ressalvas.

Na época da faculdade, Myron Bolitar teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma dolorosa quando a namorada o trocou por seu maior adversário no basquete. Por isso, a última pessoa no mundo que Myron deseja rever é Emily Downing. Assim, ele tem uma grande surpresa quando, anos depois, ela aparece suplicando ajuda. Seu filho de 13 anos, Jeremy, está morrendo e precisa de um transplante de medula óssea – de um doador que sumiu sem deixar vestígios. E a revelação seguinte é ainda mais impactante: Myron é o pai do garoto. Aturdido com a notícia, Myron dá início…

O medo mais profundo

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Muito Bom!

Do que você seria capaz para salvar seu filho? Myron terá que descobrir uma forma de não perder o filho com quem sequer teve a chance de conviver. O medo mais profundo é um livro indispensável para os leitores amantes de investigações, segredos descobertos, reviravoltas e finais surpreendentes.

Sobre Nadja Moreno

Blogueira amante de livros. Sempre em busca do mais e melhor, em tudo.

Leia Também

Resenha | O Par Perfeito, Livro 3 – Trilogia A Pousada, de Nora Roberts

Mesmo sendo conhecido como o mais durão dos irmãos, Ryder Montgomery deixa as mulheres aos …

Resenha | O Feiticeiro de Terramar, de Ursula K. Le Guin

Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem …