Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | O Porco entre os Peixes, de Jasmin Ramadan

Resenha | O Porco entre os Peixes, de Jasmin Ramadan

download (1)‘O Porco Entre os Peixes’ é um romance que conta a história de Celestine, uma adolescente alemã, filha de uma au-pair francesa, que a abandona ainda na primeira infância sob os cuidados de um pai pobretão, despreparado e um tanto imaturo. Jasmin Ramadan apresenta ao leitor um desfile de anti-heróis da classe trabalhadora, tipos sem tato ou delicadeza, que contrastam com a forte sensibilidade retraída da pequena Celestine que tenta descobrir seu lugar no mundo – o qual, segundo sua nada afetuosa avó, é habitado por carpas, animais que, por comerem de tudo, são considerados os porcos entre todos os peixes, os mais vulgares de sua espécie.

Resenha

Stine (Celestine) conta sua vida através das páginas de O Porco entre os Peixes (o título do livro vem de uma receita de sua Oma – avó, em Alemão). É, ao mesmo tempo, uma vida simples e controversa. Stine não é uma pessoa qualquer, mas vive as agruras da adolescência que qualquer adolescente vive.

Ao longo das páginas caminhamos com Stine por sua casa e conhecemos sua família, todos os sabores e dissabores que ela apresenta. A acompanhamos nas ilusões e desilusões do amor e do sexo. Aprendemos com ela sobre o que fazer – ou não fazer – no primeiro emprego. Viajamos por lugares que a fazem ter os olhos brilhando e com a vontade de perpetuar o momento, e sentimos o mesmo que ela. É mais que um livro. O Porco entre os Peixes é uma vivência! O livro é narrado em primeira pessoa. Isso nos ajuda a questionar, junto com Stine, quem ela é. O que deve ou não fazer e como resolver suas pendências.

A trama é clara e bem escrita. Não possui ação que pudesse gerar no leitor uma ânsia desesperada por saber o que vem em seguida, mas dá uma cadência gostosa que faz com que sejamos levados pela história, proporcionando uma leitura muito fluída.

Os personagens são fantásticos. Oma Senta, a ranzinza avó de Stine. Seu pai e seu amor pela lanchonete e carne crua pela manhã. Sua madrasta bêbada e um tanto quanto inconsequente. Joachim Matthias, maluco que me fez dar boas risadas. O Dr. Ray, que se torna uma espécie de analista de Stine. Tia Trixi, doida lésbica. (Inclusive, o fator homossexual é comentado em diversas passagens no livro, sem banalizar ou endeusar. Somente faz parte do contexto e é citado várias vezes, em várias ocasiões). Todos eles são cativantes, cada um a seu jeito, e todos eles são densos, mesmo os que aparecem rapidamente na história. Creio que esta força dos personagens seja uma característica da literatura alemã.

Agora, não sei se é praxe na literatura alemã, mas o livro usa muitos termos em inglês, em algumas páginas existe um bom número de termos nesta língua. A tradução foi feita do alemão, mantendo os termos – e até alguns diálogos – em inglês. A mim não interferiu na leitura, mas creio que um ou outro leitor pouco familiarizado com o inglês pode se incomodar.

A diagramação é perfeita e não encontrei erros. As páginas amareladas e o tamanho da fonte colaboram grandemente para uma leitura confortável. Parabenizo a Editora 8inverso pela publicação.

Recomendo a leitura. Leia saboreando e vivenciando o dia-a-dia desta garota-mulher e aposto que irá se encantar, sorrir, chorar e se deslumbrar como a simplicidade pode ser tão complexa.

Sobre Nadja Moreno

Blogueira amante de livros. Sempre em busca do mais e melhor, em tudo.

Leia Também

Resenha | Não Fale Com Estranhos, de Harlan Coben

O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. …

Resenha | Marvel: Guerra Civil, de Stuart Moore

A épica história que provoca a separação do Universo Marvel. Homem de Ferro e Capitão …