Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Os Três, de Sarah Lotz

Resenha | Os Três, de Sarah Lotz

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…

Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.

Resenha

“Eles estão aqui. Eu… Não deixe a Sookie comer chocolate, é veneno para os cachorros, ela vai implorar a você… O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Tchau, Joanie, adorei a bolsa, Tchau Joanie, pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…”

Últimas palavras de Pamela May Donald (1961-2012)

É com as palavras de Pamela que tem início o thriller “Os Três” , uma história que fala sobre a Quinta-Feira Negra, um dia em que quatro aviões caiem quase ao mesmo tempo, em pontos diferentes no mundo, tendo apenas três sobreviventes, todos crianças que saíram quase ilesas dos acidentes. Na verdade, havia quatro sobreviventes, mas uma mulher adulta (Pamela May Donald) acaba morrendo pouco depois da queda do avião em que estava (mesmo de uma das crianças), tendo apenas tempo suficiente para deixar gravada a estranha mensagem em seu celular.

Leais ouvintes, eu acredito que essas crianças foram habitadas pelos espíritos dos quatro cavaleiros.

Pamela May Donald disse “Pastor Len. O menino. O menino”. De que menino ela poderia estar falando senão daquela criança japonesa que sobreviveu?

É claro como água. Como a mensagem poderia ser mais clara?

Os Três é um livro totalmente diferente de tudo que já li, ele é estruturado começando com um prefácio, onde vemos a descrição de um dos acidentes, em seguida vem a surpresa, passamos a ler um outro livro dentro do livro! Isso mesmo, passamos a ler um livro chamado Da Queda à Conspiração, da autora-personagem Elpert Martins, uma repórter investigativa que cria um dossiê sobre os acidentes, a partir de artigos de jornais e blogs, relatos de pessoas próximas as vítimas e informações de domínio público. O livro foi dividido em quatro partes distintas: Queda, Conspiração, Sobreviventes e Fim do Jogo. A parte Queda descreve como ocorreram os acidentes e as reações iniciais do mundo, em Fim do Jogo, Elpert apresenta aquilo que ela julgou ser a conclusão da “trama” investigada, com relatos e e-mails trocados com informações adicionais a respeito do que aconteceu depois com as crianças e com as pessoas ligadas a elas. Já as partes Conspiração e Sobreviventes são intercaladas ao longo de todo o livro durante os meses subsequentes aos acidentes. Nas partes de Conspiração é possível ler todo o conteúdo pesquisado por ela, assim como a transcrição das gravações dos depoimentos e conversas via chat. Nas partes dos Sobreviventes, vemos como as três crianças sobreviventes e seus familiares conseguiram seguir com suas vidas após o acidente.

30 de abril

Isso é que é decisão de entrar numa.

Acabei de examinar o quarto de Jess. Não sei o que esperava encontrar. Um livro de receitas com carne humana talvez, como naquele antigo episódio de Além da imaginação, rá, rá.

(o riso de Paul dá lugar a soluços)

Tudo bem. Estou bem.

Mas ela está diferente. Está. Não há como negar isso. Ela até tirou todos os pôsteres antigos da Missy K. Talvez os alienígenas tenham bom gosto.

(outro riso que vira um soluço)

Mas… como ela pode não ser a Jess?

O problema deve ser eu.

Mas…

O enredo todo gira em torno das três crianças sobreviventes, e de um possível outro sobrevivente do acidente ocorrido na África, único que oficialmente acredita-se não haver sobreviventes. Percebemos durante a trama que as crianças não são mais as mesmas de antes… por conta, principalmente, da mensagem deixada no acidente do Japão, o mundo passa a viver uma enxurrada de teorias: Seriam as crianças os mensageiros do fim do mundo, os bíblicos Cavaleiros da Apocalipse? Seriam alienígenas que tomaram os corpos das crianças mortas? Ou as crianças estariam mortas e essas seriam espíritos maléficos que tomaram seus corpos? Escolha a sua teoria…  Gostei bastante dessa abordagem mística na história, em especial das consequências do fanatismo religioso gerado com os acontecimentos.

E agora o Dr. Lund fez uma declaração extraordinária de que há outra criança – um quarto cavaleiro – que sobreviveu à queda do voo da Dalu Air na Cidade do Cabo, África do Sul. Com base na lista de passageiros publicada recentemente, o Dr. Lund falou que no voo só havia uma criança mais ou menos da mesma idade dos Três, um menino nigeriano de 7 anos chamado Kenneth Oduah: “Acreditamos firmemente que Kenneth será confirmado como um dos arautos de Deus.”

Com relação ao projeto gráfico da obra, só tenho uma palavra: ESPETACULAR!! Foi um trabalho de design gráfico surpreendente, feito com um cuidado nos detalhes de encher os olhos, começando pela embalagem e indo até o as páginas e a diagramação propriamente dita. O livro veio embalado em uma caixa de papel de qualidade, preta como tudo na edição do livro, com as três ranhuras vermelhas presentes também na capa. E dentro, o livro ainda veio embrulhado em um charmoso papel vermelho-sangue, junto a uma página rasgada de jornal com a notícia dos acidentes. A capa é de uma simplicidade incrivelmente comunicativa, tem todos os elementos necessários pra resumir o que tem no livro, dá só uma olhadinha na imagem anexada. Um detalhe muito especial são as bordas pretas das páginas, dando a impressão de uma caixa preta. Já com relação a diagramação, tenho uma pequena ressalva, as margens das páginas muito curtas me deram um certo desconforto ao começar a ler, poderiam ter uma espaçamento maior, o que aumentaria a quantidade de páginas, mas deixaria mais confortável de se ler. Fora isso, foi magistral a forma como foram preparados os capítulos, aparentando realmente um dossiê. A Arqueiro está mesmo de parabéns, ficou uma obra magnífica!

Agora vamos a questão que todos devem está pensando: E então qual a teoria verdadeira? As crianças são os cavaleiros do apocalipse anunciando o fim do mundo? Ou são espíritos maléficos que se apoderaram de seus corpos? Ou seriam alienígenas fazendo seus experimentos bizarros? Bom, na verdade isso é uma incógnita, não espere que haja no final uma resposta direta para os inúmeros questionamentos que surgem no livro. A autora claramente teve a intenção de deixar o próprio leitor tirar suas próprias conclusões. No meu caso, a parte final do livro me levou para uma outra vertente teórica, tipo algo muito próximo do H.P. Lovecraft e Stephen King, onde em algumas obras não há uma separação muito clara entre criaturas alienígenas e espirituais, e é usado um outro conceito sobrenatural muito encontrado na obra do Lovecraft: seres extradimensionais. Ou seja, não fico com nenhuma das teorias, mas talvez com uma mistura delas, na minha opinião o livro fala de seres extradimensionais agindo em prol de algum experimento, ou simplesmente porque é assim que funciona a engrenagem do universo.

Só mais uma coisa, pode parecer que estou falando de um livro de terror/horror pavoroso, de não deixar dormir a noite e tal. Mas a verdade é que não é nada disso, é uma história muito mais contemplativa do que assustadora. Pode até causar um certo medo ou desconforto para aqueles mais sensíveis, mas no geral não acho que seja essa a intenção da Sarah Lotz, é um livro de mistério e suspense que recomendo fortemente.

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino,…

Os Três

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Excelente!

É uma história muito mais contemplativa do que assustadora. Pode até causar um certo medo ou desconforto para aqueles mais sensíveis, mas no geral não acho que seja essa a intenção da Sarah Lotz, é um livro de mistério e suspense que recomendo fortemente.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | Meio Mundo, de Joe Abercrombie

Os tolos alardeiam o que vão fazer. Os heróis fazem. Thorn Bathu não é uma …

Resenha | A Rainha das Trevas, de Anne Bishop

Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo …

  • Olá Cleson!

    Estava esperando sua resenha desse livro!

    Parabéns pela resenha! Perfeita!

    Mas no meu caso, essa questão que fica em aberto se "espíritos" ou "alienígenas" me deixam com certo desconforto! Acho que ainda não tenho vontade de ler, mesmo depois dessa resenha tão bem elaborada!

    Beijo

    • Olá Rê,

      Realmente, pode ser desconfortável e até mesmo frustante pra muita gente não saber a resposta ao fim da leitura.

      Por isso, e por conta das margens, é que minha nota não foi um cinco.

      Mas o livro vale a pena, dá uma chance. hehehe

  • Pingback: Especial Halloween | Top 5 - Livros de Terror/Horror/Suspense - Papiro Digital()