Início / Literatura / Resenhas de Livros / Resenha | Questões do Coração, de Emily Griffin

Resenha | Questões do Coração, de Emily Griffin

Questões-do-CoraçãoTessa Russo é mãe de dois filhos e esposa de um renomado cirurgião pediátrico. Apesar de todos os seus receios, ela recentemente abandonou sua carreira para se concentrar em sua família, na busca pela felicidade doméstica. Por fora, parece destinada a viver uma vida encantada.

Valerie Anderson é uma advogada e mãe solteira de um garotinho de seis anos, Charlie, que nunca conheceu seu pai. Depois de muitas decepções, desistiu do amor e até mesmo das amizades. Acreditando que é sempre mais seguro não criar muitas expectativas.

Embora as duas vivam na mesma área de Boston, elas têm pouco em comum, com exceção do amor incondicional por seus filhos. Mas em uma noite, um trágico acidente faz suas vidas se convergirem de uma maneira inimaginável.

Com pontos de vista alternados e absolutamente bem delineados, Emily Giffin cria uma história comovente e brilhante de pessoas de bem sendo pegas em circunstâncias insustentáveis. Todas sendo testadas como nunca imaginaram ser possível. Todas questionando tudo no que um dia acreditaram.

E todas por fim descobrindo o que realmente importava.

Resenha

Em Questões do Coração, Emily Griffin nos conta uma história marcante. Tessa e Nick são um casal modelo, totalmente apaixonados e com dois lindos filhos. Só havia uma pedra no caminho: a profissão de Nick. Afinal, como Tess já ouvira, “a medicina é uma amante ciumenta”.

Já Valerie, é uma renomada advogada, mãe solteira e acostumada com a solidão. Tem como companhia seu filho, Charlie, e seu irmão, Jason.

Mas em meio à calmaria de suas vidas, uma tragédia aconteceu. Durante uma festinha na casa do melhor amigo, Charlie, num momento de descuido, cai na fogueira. Neste momento várias vidas são afetadas.

Através do incidente, Nick (cirurgião plástico conceituado) e Valerie se conhecem e um sentimento começa a surgir.

Com uma trama inteligente e envolvente este livro nos põe cara a cara com todos os lados da história.

Confesso que me decepcionei no começo da leitura. Eu, uma romântica incorrigível, iria mesmo ler um livro que estampa uma traição? Precisei lutar contra este pensamento, pois já havia me apaixonado pelas personagens, era tarde demais para desistir. Li mesmo e não me arrependi.

O livro nos ajuda a perceber que não existem essencialmente heróis ou vilões. Que, independente da situação ou de nossas ações, buscamos somente a satisfação. Afinal, nada parece tão errado quando nos faz feliz.

Sobre Vitória Duarte

Leia Também

Resenha | A Terra Inteira e o Céu Infinito, de Ruth Ozeki

Uma vez, um velho Buda falou: Para o ser-tempo, parado no cume da montanha mais …

Resenha | O Eterno Namorado, Livro 2 – Trilogia A Pousada, de Nora Roberts

Tudo o que acontece na vida de Owen Montgomery é meticulosamente organizado em uma planilha …