Início / Músicas / Playlist | Covers (quase) melhores que suas versões originais – Parte I

Playlist | Covers (quase) melhores que suas versões originais – Parte I

Alguns covers são tão famosos que ofuscam suas versões originais, são versões que fazem você esquecer que havia uma música original, ou ainda, músicas que foram tão brilhantemente reinterpretadas por outros (ou até em outros estilos) que encontraram toda uma nova geração de fãs.

Como não consegui diminuir a minha enorme lista, a playlist será dividida em três partes, fiquem com a primeira parte a partir de agora.

1. “Always On My Mind” – Pet Shop Boys -> A versão synthpop que os Pet Shop Boys fizeram para “Always On My Mind” ganhou o topo da lista. Apesar de ser associada a Elvis Presley, a primeira pessoa a gravar a canção foi a cantora Brenda Lee e regravada por Elvis em 1972. Na voz do “rei do rock” a música chegou ao top 20 americano, ficou em nono lugar na Inglaterra e terminou por se tornar um standard, com inúmeras regravações.  Em comemoração ao décimo aniversário da morte de Elvis Presley, os Pet Shop Boys foram convidados por um programa de TV inglês para cantarem uma música de Elvis, foram dadas duas opões: Baby Let’s Play House e Always On My Mind. Eles escolheram a segunda opção. O resultado foi tão bom que eles incluíram o cover no álbum Introspective lançado em 1988. A música ficou em primeiro lugar durante 2 semanas no Reino Unido, alcançou também o primeiro posto na Alemanha e o quarto lugar na Billboard americana.

2. “Knockin’ On Heaven’s Door” – Guns N’ Roses -> Originalmente gravada por Bob Dylan, a música tomou de assalto as rádios do mundo inteiro, sendo uma das músicas mais tocadas da década de 90. Atingiu o segundo lugar no Reino Unido e apesar da crítica preferir a vesão de Bob Dylan, foi o Guns que a popularizou em todo o mundo. Diversos artistas/grupos musicais famosos fizeram cover da canção, mas é inegável a importância do Guns. O grupo californiano fez um cover Hard Rock da canção e introduziu no álbum Use Your Illusion II, lançado em 1991. Apesar disso, a música era tocada desde 1988 pela banda. Na Use Your Illusion Tour, Slash tocava com uma introdução da música Only Women Bleed.

3. “Hallelujah” – Jeff Buckley -> Decidir qual a versão mais bonita da música Hallelujah não é uma das tarefas mais fáceis. Composta e gravada originalmente por um dos mais importantes músicos de todos os tempos, o canadense Leonard Cohen, a canção foi imortalizada pelo jovem talento Jeff Buckley. Pode até parecer uma heresia, mas Buckley levou a canção de Cohen onde ele mesmo, talvez, não pudesse levar. Jeff Buckley é considerado uma lenda , um gênio do mesmo cacife de Bob Dylan, Brian Wilson, John Lennon e Eddie Cochran. Infelizmente Buckley apareceu do mesmo modo como se foi, como um raio, morreu afogado no rio Mississipi em 1997 aos 27 anos.

4. “Nothing Compares 2U” – Sinnead O’Connor -> É difícil imaginar a música Nothing Compares 2U em outra voz que não a da Sinnead O’Connor. O que nem todo mundo sabe é que a versão original da canção, trilha sonora de muitos relacionamentos desastrosos mundo afora, é do Prince. Nothing Compares 2U foi composta e gravada em 1985 pela The Family, banda de Prince à época. Em 1989, Sinéad regravou e a incluiu em seu segundo álbum I Do Not Want What I Haven’t Got. O sucesso foi estrondoso. Foi primeiro lugar em 14 países. O sucesso do cover foi tão grande que Prince teve que incluir a canção no track list de seus shows. A versão de Sinéad é o famoso caso onde todos passam a conhecer a música pelo cover de sucesso, e foi tão bem aceito que parece que a música é da própria Sinéad. A música aparece na posição 77 das maiores músicas de todos os tempos pela Billboard, na décima posição das melhores músicas dos anos 90 pela VH1 e segunda posição de melhor música romântica de todos os tempos (VH1).

5. “All Along the Watchtower” – Jimi Hendrix -> A genialidade e o talento de Jimi Hendrix tornaram a música All Along the Watchtower, cuja versão original é do não menos talentoso e genial Bob Dylan, um marco na história do rock’n’roll. Gravada pela primeira vez em 1967, a canção só se tornou um hit na voz e na guitarra de Jimi Hendrix um ano depois, em 1968. Há quem prefira Dylan e há quem prefira Hendrix. Na dúvida o melhor é ficar com os dois. Dylan gravou a música em novembro de 1967. Em 1968 Hendrix resolveu fazer o seu cover tendo em punho sua Fender que para alguns “possuía alma“. Hendrix era tão perfeccionista que a música demorou 7 meses para ser finalizada, o baixista Noel Redding, insatisfeito com as sessões saiu, sendo o próprio Hendrix quem toca o baixo na parte final da música. A música foi lançada em setembro de 1968 e alcançou o quinto lugar nas paradas britânicas. O perfeccionismo de Hendrix teve sucesso, a Guitar Worlds elegeu o solo da música como o quinto maior de todos os tempos.

6. “The Man Who Sold the World” – Nirvana -> Os fãs do lendário David Bowie têm dificuldades em aceitar isso, mas a música The Man Who Sold the World só virou um grande sucesso depois que os garotos rebeldes do Nirvana deram à canção uma nova cara. Em 1993, a banda resolveu fazer uma rendição ao vivo da canção em sua apresentação no MTV Unplugged, e ela foi incluída no ano seguinte no álbum MTV Unplugged in New York. A canção foi então realizada como single promocional para o álbum e foi muito tocada nas rádios. Não deixou também de passar frequentemente um trecho da apresentação ao vivo como clipe da MTV. A versão do Nirvana foi a mais famosa, chegando a ofuscar, inclusive, seu próprio criador, David Bowie. Por causa disso, mais tarde Bowie certa vez lamentou-se que muitas vezes encontrava “crianças que vinham mais tarde dizendo: Legal que você tem cantado uma música do Nirvana. E quando isso acontecia, eu pensava comigo mesmo: ‘Vão se fuder, seus pequenos perturbadores!'”. Os créditos sempre serão de Bowie, é claro, mas a fama da música deve também ser associada a banda de Seattle que, apesar de breve, deixou sua marca na história.

7. “I Shot the Sheriff” – Eric Clapton -> I Shot the Sheriff foi composta e gravada originalmente por Bob Marley em 1973, mas a versão de Eric Clapton foi a maior responsável pelo sucesso da canção. A exemplo de outros músicos, Clapton gravou a música apenas um ano depois de Marley lançar o álbum Burnin’, em que I Shot the Sheriff ocupa a terceira faixa. O cover de Clapton foi inclusive apontado como uma das razões para o sucesso internacional de Marley e do reggae – a partir da performance do guitarrista, o mundo começou a prestar atenção no astro jamaicano.

8. “Twist and Shout” – The Beatles -> Um dos maiores hits do quarteto de Liverpool, a música Twist and Shout, nada mais é do que um cover de um grupo americano (!) chamado Top Notes. Antes dos Beatles, uma outra banda, os Isley Brothers, chegou a gravar a canção, chegando até a fazer um certo sucesso no início da década de 60. Mas foi só na versão dos “Fab Four” que Twist and Shout saiu da Inglaterra para o mundo e se firmou com uma das músicas mais importantes de todos os tempos. E nos anos 80 ela voltou contudo no filme “Curtindo a vida adoidado”.

9. “Last Kiss” – Pearl Jam -> É uma música de Wayne Cochran escrita em 1962 e tocada originalmente por Wayne Cochran & the C.C. Riders, tendo por esta altura um pequeno sucesso. A música foi posteriormente regravada por várias bandas, sendo o maior sucesso alcançado pelo Pearl Jam. A música foi inicialmente lançada na compilação No Boundaries: A Benefit for the Kosovar Refugees, a favor dos refugiados. O Pearl Jam lançou posteriormente um single da música em 1999, incluíram-na na sua compilação de lados B (Lost Dogs), e também na sua compilação de êxitos Rearview mirror: Greatest Hits 1991-2003.

10. “Easy” – Faith No More -> Esse é um dos maiores exemplos de versão cover superar a original. Foi feita por Leonel Ritchie, The Commodores, em 1977. A banda Faith No More recriou a mesma usando praticamente a mesma harmonia e com um solo de guitarra sensacional. Foi gravado pela banda no álbum Angel Dust de 1992, e é, sem dúvida, um dos seus maiores sucessos. O mais curioso é que eles fizeram essa versão com o intuito de irritar os fãs, fugindo do estilo pesado do heavy metal. Não era a primeira vez que a controversa banda fazia esse tipo de manobra, levando em conta que o sarcasmo e o descaso com os aspectos comerciais fizeram com que a banda passasse por maus bocados.

Agora Aperte o play e ouça!

Playlist | Covers (quase) melhores que suas versões originais – Parte I

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Deixa eu te falar 04 – Sexy Sem Ser Vulgar (3 na massa)

YouTube: Hoje falo de um projeto lindo, sexy e sensível, o 3 na massa! Projeto …

Deixa eu te falar 03 – Musiquinhas Legais em Filmes e Séries Legais

  Hoje eu falo sobre filmes e séries que tiveram aquela(s) musiquinha(s) que chamaram minha …