Início / Resenhas de Quadrinhos / Resenha | HQ Assassinatos na Rua Morgue

Resenha | HQ Assassinatos na Rua Morgue

A clássica história de mistério escrita por Edgar Allan Poe no século XIX chega agora em uma adaptação para os quadrinhos. A busca de um homem para solucionar um misterioso assassinato é retratada em ilustrações de arrepiar. Dupin foi o primeiro detetive de novelas policiais, e influenciou Arthur Conan Doyle na construção de seu mais famoso personagem, Sherlock Holmes.

Resenha

O selo Farol HQ é uma iniciativa fantástica de mostrar os quadrinhos como arte, educando e entretendo. Os títulos são adaptações de clássicos da literatura universal, tais como: Vinte Mil Léguas Submarinas, Viagem ao Centro da Terra e O Senhor do Mundo (de Julio Verne), Moby Dick (de Herman Melville), Joana D’Arc (de Mark Twain), Alice no País das Maravilhas (de Lewis Carroll), A Ilha do Tesouro (de Robert Louis Stevenson), O Cão de Baskervilles (de Arthur Conan Doyle, o pai de Sherlock Holmes), Robinson Crusoé (de Daniel Defoe), Hamlet, Romeu e Julieta e O Mercador de Veneza (de William Shakespeare), entre outros.

Neste título vemos um clássico do mestre Edgar Allan Poe: Assassinatos na Rua Morgue. O conto no qual a HQ foi baseada, trás o detetive Auguste Dupin, personagem que influenciou a existência de vários outros grandes detetives que vieram muito tempo após ele. Podemos afirmar, sem sombra de dúvida, que se não fosse o conto “Assassinatos na rua Morgue” (1841), não haveria Sherlock Holmes (Conan Doyle, 1887) ou Hercule Poirot (Agatha Christie, 1920), além de tantos outros detetives que até hoje encantam milhões de leitores.

Quando li a HQ, não pude deixar de comparar a dupla investigadora com a dupla Sherlock Holmes e Dr. Watson. É fascinante observar o personagem de Poe utilizar um familiar sistema de dedução baseado na sua profunda capacidade de observação dos fatos.

A obra mostra o assassinato de duas senhoras recatadas, as mãe e filha madames L’ Espanaye. Elas foram terrivelmente assassinadas, e ninguém ouviu nada, ou quem ouviu não entendeu o que o assassino gritou. Então, no dia seguinte, a dupla ao ler o jornal da manhã, fica sabendo sobre os dois assassinatos que aconteceram de forma brutal na rua Morgue. Dupin fica muito interessado no caso e começa a pesquisar todo o material divulgado sobre os assassinatos. Enquanto isso, a polícia divulga uma foto do suposto assassino, mas o detetive Dupin, com toda a sua perspicácia, percebe que tem alguma coisa errada e começa a investigar por conta própria.

Algo curioso, que só percebi depois de ler, é que o “Dr. Watson” de Dupin não tem nome!! Isso mesmo, o parceiro do detetive que, assim como na obra de Conan Doyle, também narra a história, não é “nomeado” em momento algum pelo autor. É apenas o narrador da história, servindo como “escada” para Dupin agir.

A edição feita pela Farol Literário, como sempre, é muito bem trabalhada, a capa é feita em papel cartão envernizado, as páginas são em papel couché brilhante e a arte em si é desenhada e colorida de uma maneira a deixar as cores bem vibrantes, sem abrir mão do estilo caracteristicamente sombrio do autor.

É uma obra fascinante, totalmente indicada para quem curte mistério e suspense policial.

————

Dados Técnicos

Autor: Edgar Allan Poe
Adaptação: Carl Bowen
Título original em inglês: The Murders in the rue Morgue
Tradução: Cassius Medauar
Ilustração: Emerson Dimaya
Assunto: Suspense, Mistério, Policial
ISBN: 9788582770504
1ª edição 2014
Brochura com verniz | 72 páginas | 16,5X26cm
Selo Farol HQ
————

Autor

Edgar Allan Poe (1809-1849), foi um autor, poeta, editor e crítico literário americano, integrante do movimento romântico americano. Conhecido por suas histórias que envolvem o mistério e o macabro, Poe foi um dos primeiros escritores americanos de contos e é geralmente considerado o inventor do gênero ficção policial, também recebendo crédito por sua contribuição ao emergente gênero de ficção científica. Ele foi o primeiro escritor americano conhecido por tentar ganhar a vida através da escrita por si só, resultando em uma vida e carreira financeiramente difíceis.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | O Outro Lado, de Flávio Assunção

Em O Outro Lado, o leitor acompanha a jornada de um serial killer que acredita …

Resenha | Ninfeias Negras, de Michel Bussi

Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, …