Início / Resenhas de Quadrinhos / Resenha | O Pequeno Livro dos Beatles

Resenha | O Pequeno Livro dos Beatles

Depois de recontar a história do rock na HQ O Pequeno Livro do Rock, lançada pela Conrad Editora no início de 2010, o quadrinista Hervé Bourhis quis se dedicar a apenas uma e talvez a mais importante banda do gênero: os Beatles.

Nesta HQ é retratada a trajetória do grupo inglês desde antes de sua formação, passando pelos anos da Beatlemania, pela separação do grupo até se focar apenas na carreira solo de seus integrantes.

“Irresistível e gostoso de se ler.” – O Globo

“Para quem curte rock, é um prato cheio e item de colecionador.” – Revista IstoÉ Gente

Resenha

Psicodélico! Essa é a palavra que resume o que encontramos nesta incrível HQ do francês Hervé Bourhis. Ele também é o autor de O Pequeno Livro do Rock, lançado aqui no Brasil também pela Editora Conrad.

O Pequeno Livro dos Beatles trata-se de um bem humorado almanaque ilustrado em ordem cronológica desde os primórdios da formação do grupo até os dias mais recentes, com curiosidades e pontos chave da carreira dos meninos de Liverpool. É uma obra incrivelmente bem ilustrada, mas não é uma história em quadrinhos clássica, como dito anteriormente, ela é um almanaque ilustrado, um livro de recortes, uma obra-prima de referência muito bem detalhada.

A história em si, não há o que dizer, todos conhecem a vida dos Beatles, existem inúmeras biografias por aí, inclusive em quadrinhos. Então o autor optou por fazer algo bem diferente, ele vai a cada página pondo caricaturas e desenhos de fatos relevantes ligados a cada um dos Beatles desde o nascimento. Que vão desde cenas de fatos ocorridos, até matérias de jornais, releituras de capas de discos, cartazes de shows, e outras informações e curiosidades relevantes e interessantes da carreira e da vida deles.

Um detalhe bem legal são as seções “Se você gosta de Beatles, talvez goste de:”, onde indica outras bandas parecidas ou inspiradas neles, e “Sou eu que acho ou parece mesmo?”, em que o autor compara as músicas do grupo com de outras bandas ou cantores, como por exemplo, “Ticket to Ride” e “Girl Don’t Tell Me”, dos Beach Boys. Sempre se utilizando de uma boa dose de bom humor nos comentários.

Com relação ao projeto gráfico, o formato do livro é quadrado, nos lembrando os saudosos vinis tão usados naquela época. A capa em si também chama a atenção pela sua simplicidade comunicativa. É um design perfeito!

Mas, por que resumi a HQ como psicodélica? Pois bem, sabe aquela capa de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band? É bem por aí, a HQ tem muita informação junta, são 300 páginas de muita coisa pra raciocinar ao mesmo tempo, para alguns pode até trazer uma certa “vertigem”, mas para outros será um exercício delicioso de “Onde está Wally?”, pois cada imagem representa algum fato significativo na vida dos Fab4 (até aquela imagem bem pequenina na cena de fundo do quadrinho).

Então é isso, se você gosta de música e dos garotos de Liverpool, essa HQ é sua. Mas, se você não gosta de Beatles, mas gosta de quadrinhos, pode até sentir um desconforto pela estrutura narrativa (ou falta dela), mas vai se deliciar do mesmo jeito. Mas, e se você gosta de Beatles, mas não gosta de quadrinhos, pode haver uma mudança de ideia aí, quem sabe esses quadrinhos não te levam a um mundo interessante que você nem sabia existir.

Algumas Imagens

(clique na imagem para ver melhor)

beatles_hq

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de tv. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Leia Também

Resenha | 1+1 – A Matemática do Amor, de Augusto Alvarenga e Vinícius Grossos

“Não lembro muito bem como eu e o Bernardo nos conhecemos. Até onde sei, ele …

Resenha | A Terra Inteira e o Céu Infinito, de Ruth Ozeki

Uma vez, um velho Buda falou: Para o ser-tempo, parado no cume da montanha mais …

  • Que interessante, eu amo HQs mas não gosto de Beatles, mas achei bem legal, afinal se tivesse de um da minha banda favorita teria que ter. E achei legal a criatividade do autor em envolver os desenhos em cada vivência de cada um, tem bastante páginas… os fãs iriam amar!